Harry HR

Cuidados e suporte financeiro

O dilema do relatório de despesas: os trabalhadores holandeses deixam milhões por reclamar, receando serem vistos como sovinas

83 euros

Os trabalhadores holandeses não estão nada entusiasmados com o incómodo de apresentarem relatórios de despesas aos seus empregadores para reembolso, principalmente devido ao receio de serem vistos como uns forretas. A investigação indica que, em média, os trabalhadores renunciam a 83 euros por pessoa em pedidos de reembolso de despesas anuais, o que resulta numa enorme vantagem de 328 milhões de euros por ano para os empregadores.

Os jovens são os que mais deixam dinheiro por reclamar

Curiosamente, quando comparada com outros grupos etários, é a geração mais jovem que tende a deixar mais dinheiro por reclamar ao não apresentar relatórios de despesas. A empresa Fintech Pleo realizou um inquérito a 1042 trabalhadores holandeses para chegar a estas conclusões.

O inquérito revelou que os trabalhadores neerlandeses deixam, em média, 83,30 euros por pessoa por reclamar em despesas, dando aos empregadores uma vantagem financeira substancial de mais de 328 milhões de euros por ano. Estes valores baseiam-se no facto de os trabalhadores terem de adiantar uma média de 1.237,20 euros por ano em despesas profissionais, mas nem todos apresentam pedidos de reembolso suficientes para recuperar a totalidade do montante.

Jovens dos 18 aos 35 anos: O maior prejuízo financeiro

Entre todos os grupos etários, os indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos são os que enfrentam o maior prejuízo financeiro devido a despesas não reclamadas, atingindo 191,70 euros. Além disso, são também eles que suportam o maior encargo mensal de 194,20 euros em adiantamentos. Os trabalhadores com idades compreendidas entre os 35 e os 50 anos perdem 80,30 euros por ano, enquanto os trabalhadores com 50 anos ou mais negligenciam a declaração de uma média de 42,60 euros em despesas comerciais. Além disso, este grupo demográfico mais velho só tem de suportar uma média de 72,70 euros por mês.

O medo de ser julgado impede os jovens de declarar as despesas

O estudo revelou ainda que os jovens trabalhadores se abstêm frequentemente de declarar despesas devido ao receio de serem rotulados de sovinas. De todos os inquiridos, 221 PT13T admitiram evitar apresentar pedidos de reembolso de pequenas quantias, sendo que este número aumenta para 321 PT13T entre os jovens trabalhadores. Factores como a sobrecarga de trabalho e o extravio de recibos ou formulários de pedido de reembolso foram citados em um em cada cinco casos como razões para negligenciar os relatórios de despesas.

Relatórios de despesas causam stress entre os trabalhadores mais jovens

O estudo sublinhou ainda que os trabalhadores com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos sofrem de stress quando têm de fazer face a despesas. Um número assinalável de 30% manifestou preocupação por não poder pagar as suas próprias contas, sendo que um em cada três retira ocasionalmente dinheiro das poupanças ou de outras contas para cobrir as despesas do empregador. Além disso, 37% dos jovens trabalhadores consideram que os adiantamentos estão desactualizados.

Frustração com o processo de relatório de despesas

A recolha de recibos revelou-se incómoda para 24% dos inquiridos, enquanto o preenchimento correcto e completo dos formulários dos relatórios de despesas se revelou ainda mais exasperante. Embora dois terços dos trabalhadores afirmem receber orientações suficientes sobre a apresentação de relatórios de despesas, continuam a considerar o processo complicado.

Eilika Regenbrecht, Country Manager da Pleo Netherlands, sublinhou que os jovens empregados são financeiramente vulneráveis e, paradoxalmente, são os que deixam mais dinheiro por reclamar. Também observou que a falta de recibos pode prejudicar os empregadores, levando a oportunidades reduzidas de recuperação do IVA.

Partilhar isto :

Publicações relacionadas